Animatrônico – Animatronic

Nos últimos quatro meses eu estive envolvido com um projeto muito desafiador, numa parceria muito bacana com o Eliseu Weide, o Murilo Murrah e o Wanderlei.  A engenhoca toda é um animatrônico, um coral de sapos em três vozes, controlado digitalmente por um Arduino e uma placa de som.

Eliseu me surgiu com essa idéia toda e eu logo visualizei o Arduino controlando a coisa toda. A coisa parecia fácil, porque eu já tinha feito minhas cabecinhas conversadoras com Kinder Ovo e a idéia do Eliseu parecia ser uma versão um pouco maior disso… Ledo engano!

Trabalho monstruoso! Eu assumi toda a robótica da coisa, desde a mecânica dos bonecos, passando pela eletrônica e a programação. Eliseu coordenou a equipe, criou todo o aspecto visual e o conceito em si. O Murilo fez a música e o Wanderlei foi o nosso cenotécnico.

Foi um periodo de muito aprendizado, porque eu nunca tinha feito nada tão complexo usando o Arduino. O funcionamento geral da coisa é o seguinte: um sensor detecta a presença do espectador e os sapos começam a cantar, isso é, movem as suas bocas de acordo com a música. Cada sapo é controlado por um servo-motor (são dezoito), cujo movimento está sincronizado com a amplitude do sinal de audio (o volume da música), para cada uma das vozes (graves, médias e agudas).

Eu descobri mil macetes, mil caminhos para fazer essa engenhoca funcionar, que vão desde o uso incomum da placa de som escolhida, ou da construção da máquina que move a boca dos bonecos, a escolha da fonte de alimentação adequada para aguentar a carga dos dezoito motores, até arranjos bem complexos do próprio Arduino.

E apanhamos um bocado para fazer a coisa toda dar certo. E estamos quase acabando.

Logo logo vou mostrar isso tudo funcionando para vocês. É divertidíssimo!

E então, vou voltar pros meus brinquedos menores…

 

Deixe uma resposta